sexta-feira, 16 de outubro de 2015

TURISTANDO SOZINHA EM NYC

Quem visita Nova York se apaixona e eu não fujo à regra. Sempre que vejo promoção aérea para lá o coração bate mais forte. Na metade desse ano, em junho, surgiu uma oportunidade de estar em NY novamente e eu nem pensei duas vezes, comprei a passagem na hora. 

O único porém é que dessa vez eu estaria turistando pela cidade sozinha, mas isso não é motivo para abalar minhas estruturas. Eu não jogo fora oportunidades de viajar por não ter companhia.  E foi com essa confiança que eu me joguei na capital do mundo, a cidade que nunca dorme, Big Apple, o berço cosmopolita!



Manhattan está sempre abarrotada de gente de todos os tipos, cores e credos, e esse é um motivo pelo qual você acaba não se sentindo solitária. Há sempre alguém a quem observar, algum prédio a admirar ou algum parque para espairecer. A energia que a cidade emana é essa de correria, animação, a impressão é que as pessoas são todas muito ocupadas ou estão atrasadas para algum compromisso. 

Eu adoro caminhar quando estou viajando, prefiro bater perna até amolecer e aí então, partir para o metrô. Parece que dessa forma aproveitamos mais o que a cidade tem a oferecer. Assim como todo turista eu curto passear pela 5a Avenida, Times Square, The High Lines, Central Park e todos esses pontos manjados. 

Mas, o mais gostoso mesmo foi sair sem muito rumo pelos bairros de Soho, Meatpacking District, Greenwich Village, Brooklyn e meu favorito: Williamsburg, o bairro da Max e Caroline de Two Broke Girls (amo!). 




Viajar sozinho é uma boa oportunidade para se conectar com seu eu interior. Quais as suas vontades no momento, o que você está afim de fazer? Ver? Comer? Afinal de contas, nós devemos ser nossa melhor companhia sempre. E estar sozinho durante uma viagem de lazer te coloca sob outra perspectiva. 

Eu aproveitei para fazer o que desse na telha. Entrei em diversas farmácias, comparei preços, olhei tudo o que achei interessante, fiz compras - sans marido fazendo cara feia - andei, mudei o rumo quando deu vontade. Curti as vitrines da 5a avenida, da Macy's, Barney's, Bloomingdales, virei a Urban Outfitters de cabeça para baixo. Entrei em pelo menos 3 lojas da Sephora para provar make e garantir a compra do que gostei. 

Quando o desejo consumista deu aquela cessada, e a consciência começou a pesar, eu parti para outro tipo de passeio. Fui até o Brooklyn Botanic Garden e dei aquela respirada no ar puro, contemplei as milhares de espécies de flores, sentei para ler um livro no jardim japonês e foi um passeio tranquilo, gostoso, muito diferente e que eu faria de novo.




 Meatpacking District e Greenwich Village são dois bairros que estão próximos um do outro. Fiz a transição entre eles caminhando, parando vez ou outra para bater uma foto e curtindo o visual. É uma área bastante residencial, vi crianças voltando da escola e moradores passeando com seus pets. Aproveitei para tomar um bom suco verde e curtir essa vibe me sentindo uma local - I wish!

Foi ali no Meatpacking, mais especificamente em Gansevoort, que eu iniciei o passeio pelas High Lines. Eu comecei em uma das extremidades da passarela suspensa (a outra é na 30th St com 10th Ave) e caminhei muito, debaixo de um sol escaldante de uma NY fervendo em pleno verão. Não vou mentir, teve vezes em que me senti um pouco odd, eu era a única caminhando por ali sem companhia, acho que viajar sozinho tem dessas coisas mesmo, mas nem por isso eu curti menos o passeio. Tomei um sorvete delicioso e muita, muita água.

Outra parada estratégica foi em Williamsburg no café mais fofo que encontrei e comi um croissant de nutella que foi uma coisa de gostoso. Inclusive vou dar a dica: The BakeShop by Woops, fica na Driggs Ave com North 7th St.



 
Passeios imperdíveis: 

- Caminhar pelo Meatpacking District;
- Passear pelas High Lines;
- Aproveitar a vista de Manhattan do Waterfront Piers em Williamsburg e depois parar em um dos muitos coffee shops charmosos da região;
- Atravessar a Brooklyn Bridge;
- Visitar o Brooklyn Botanic Garden para fugir um pouco do agito;
- Ir até Hoboken, tomar um chocolate quente na Carlo's Bake Shop, aka Cake Boss, e ainda de quebra ter mais uma panorâmica de Manhattan;
- Assistir ao pôr-do-sol no One World Observatory;

Itens obrigatórios:

- Selfie stick, popularmente conhecido como "pau-de-selfie";
- Um bom par de tênis;
- Livros, se você curte leitura;
- Muita disposição e cara de pau.




Nova York é aquele tipo de cidade que assim que você vai embora, já quer estar de volta.

Beijos com carinho ;)



Nenhum comentário:

Postar um comentário