quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

MURAL DE INSPIRAÇÕES: LENÇOS NO VERÃO


Hoje começa oficialmente a estação mais quente do ano e a mais esperada por muitos: Ahhhh o verão! Época de festas de final de ano, confraternização, amigo secreto, férias (não pra mim!) e muita alegria. Verão também é sinônimo de conforto, looks frescos e despretensiosos, rasteiras, shortinhos e vestidos. Verão pede cores vibrantes, muito bronze e biquíni. E foi nessa pegada despojada e estilosa que eu montei um mural de inspirações para a gente usando lenços no verão. O lenço faz as vezes de terceira peça para acrescentar mais personalidade à um look muitas vezes simples. Acho que super faz a diferença. Eu amo lenço e uso muito, em todas as estações.

O segredo para conseguir usar lenço sem sufocar de calor no verão, é escolher o tecido certo. Seda, linho e crepe são boas pedidas. É importante focar em tecidos leves e fluídos. Quanto à estampa, não tem regra. Cores escuras geralmente dão a impressão de que você está passando mais calor do que na realidade está, não gosto muito. Particularmente, no verão prefiro lenços mais vibrantes ou em tons de candy colors e estampas de onça e xadrez. 

MURAL DE INSPIRAÇÕES
Esse do meio é meu estilo favorito, confesso! Mais simples que isso, só "dois disso". Pegar um mega lenço e jogar em volta do pescoço. Pronto. Simples e eficaz.
Essa forma de amarrar o lenço é muito interessante. Dá uma volta e na segunda faz um nózinho nas duas pontas.
ALERTA: Truque de styling detected! Olivia Palermo é a rainha dos truques de estilo. Eu já dei a dica desse truque para usar no inverno com Echarpe + Trench Coat, mas ela mostra que pode ser adaptável ao verão, sobrepondo um vestido e acrescentando um cintinho. Adorei a ideia. 
3 modelos polêmicos: bandana, aeromoça e skinny scarf. Esses tipos de lenços geram discórdia hahaha. Eu ando bem apaixonada pela amarração estilo comissária de bordo, hein!
Não basta usar lenço no verão, vamos levá-lo à praia! Quem aqui já tentou transformar o lenço em um turbante? Turbante já fez muito minha cabeça na praia, ultimamente não tenho mais usado, mas continua sendo uma maneira legal de segurar a juba no verão.

Você usa lenço no verão? Qual seu estilo favorito?


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

NEW HOPE, UMA DESCOBERTA NA PENNSYLVANIA


Sempre que planejamos viajar para um destino novo e que por mais que você procure, não encontra nenhum post sobre o lugar na internet, bate aquele friozinho na barriga.
Será que é realmente legal?
Não vou desperdiçar dias preciosos da viagem com um destino nada a ver?
Porque ninguém ainda foi para lá?
Todas essas dúvidas passam pela cabeça, mas no final das contas admito que eu adoro visitar um lugar que não é "famoso".

Cidade pequena, de interior, pouco conhecida, pouco falada, localizada no Rio Delaware, fronteira com New Jersey, a apenas 1h30 de Manhattan, apresento à vocês NEW HOPE!


COMO DESCOBRI NEW HOPE?

Já contei no post onde compartilho nossa ROADTRIP NOS EUA - NOSSO ROTEIRO NO OUTONO que queríamos muito alugar um carro e dirigir pelo interior dos EUA em cidades menores e mais afastadas da rota turística. Pois bem, eu adoro "fuçar" o google maps e faço muito uso dessa maravilha tecnológica quando estou preparando um roteiro. Faço diversas simulações para calcular quilometragem, tempo e descobrir cidades pelo caminho. E foi em uma dessas simulações, mais precisamente no trajeto Nova York x Philadelphia, que New Hope chamou minha atenção. Procurei informações sobre a cidade na internet, algum post, algum vlog, qualquer coisa e admito que encontrei pouquíssima ou quase nenhuma informação para me ajudar. Mas ainda assim resolvi arriscar.

O QUE TEM DE BOM LÁ?

A cidade é exatamente isso que vocês estão vendo nas fotos; tranquila, organizada e charmosa. A rua principal reúne restaurantes, cafés, lojas, casas e uma passarela beira-rio. As ruas mais afastadas levam à belíssimas construções, casas modernas à provençais. Nem em Malibu e Beverly Hills vimos casas tão lindas e luxuosas quanto em New Hope. Como a cidade está bem pertinho de NY, apenas 1h30 da ilha de Manhattan, desconfio que muita gente podero$a tem New Hope como endereço. A cidade tem belíssimas paisagens, belíssima foliage e a margem do Rio Delaware é encantadora. Mas ela não oferece muito além disso, turisticamente falando, caso você goste de agito e passeio. Como esse era o nosso penúltimo dia numa roadtrip que durou mais de 20 dias, nós estávamos bem cansados já de ficar "saracoteando" para lá e para cá e queríamos mesmo era sossego, um bom café e uma caminhada tranquila. New Hope foi a escolha ideal.


VALE A PENA?

Se você estiver de carro pela região, com algum tempo de sobra e sem muita pretensão, eu digo que sim, vale a pena fazer um desvio de trajeto para conhecer New Hope. Mas se você curte cidade grande, agito, barulho, mil e um passeios para fazer, nesse caso talvez New Hope não seja o destino ideal para você. Uma noite é suficiente pela região e se você não dispõe de um dia inteiro mais uma noite, até mesmo uma tarde ou uma manhã pode ser o bastante.


Essa é New Hope para vocês, meus queridos! 
Beijos com carinho ;)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

WILLIAMS, AZ - A UMA HORA DO GRAND CANYON


Se você está planejando visitar o Grand Canyon a primeira coisa que precisa saber é: parabéns, você escolheu um destino maravilhoso. E a segunda coisa que precisa saber é: reserve pelo menos 2 dias inteiros para visitar o parque, pois ele merece! O parque é grande, muitas opções de mirante e trilhas e quem gosta de atividades ao ar livre e caminhadas, encontra diversão para uns 4 dias. E esse post vem para ajudar àqueles que procuram mais informação sobre as cidades próximas ao Grand Canyon. 

Hoje trago para vocês uma cidade histórica, faz parte da Rota 66 e está a 60 milhas da entrada Sul do Grand Canyon: Williams, no estado de Arizona

Williams, AZ - Portal para o Grand Canyon
Em Williams encontramos tudo: hospedagem com bom custo x benefício, restaurantes locais, redes de fast-food, lojas, o combustível mais barato da viagem e claro, uma estrada fluída até o Grand Canyon. Durante o dia fizemos o trajeto até o South Rim e durante a noite ao retornar para o hotel, fomos dar uma banda pelo centrinho da cidade.

Williams tem bem a carinha do Arizona; botas, chapéu e aquele sotaque puxado, meio country. A cidade faz parte da lendária Rota 66 e é possível encontrar várias lojinhas de souvenir com essa temática. Achei as pessoas acolhedoras, fomos bem atendidos em todos os lugares. A cidade é um pouso para muitos turistas americanos que viajam de motor home - não encontramos turistas estrangeiros. Tem vários campings espalhados pela cidade, muitos inclusive dirigem até o Grand Canyon de motor home e dormem por lá. É uma opção bem mais barata do que se hospedar em um hotel dentro do parque.  

Outro programa muito legal que fizemos ali por perto, em Flagstaff a 30 min de carro, foi assistir à uma partida universitária de futebol americano. Walkup Skydome é o estádio de futebol da NAU - Universidade do Norte do Arizona. É incrível como qualquer jogo se torna um evento, com fanfarra, mascote, música, dança, fogos e tudo mais. Foi divertido.


Se você conhece alguma outra cidade próxima ao Grand Canyon, deixe nos comentários. Vou adorar saber e ler as suas experiências.

Quer saber mais sobre nossa viagem? Clique no link abaixo:

ROADTRIP NOS EUA - NOSSO ROTEIRO NO OUTONO

Beijos e até breve!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

ROADTRIP NOS EUA - NOSSO ROTEIRO NO OUTONO

Foliage na Pennsylvania
Oiiii meu povo lindo! Estive sumida, eu sei, me desculpem! Voltei de viagem e mergulhei de cabeça no trabalho que tinha coisa acumulada até o pescoço e agora sim, com a vida organizada, posso voltar a escrever com calma. 

Vou começar o post falando como foi maravilhosa essa viagem. Ao todo 24 dias de novas experiências, novas paisagens, novos ares. Alguns lugares visitei pela 2a, 3a, 4a vez e outros pela primeiríssima vez. Mas a emoção em todos eles foi a mesma; como é bom viajar! Tá aí um dinheiro bem investido. 

A decisão dos nossos destinos foi feita juntando 1 escolha minha e 1 escolha do marido: eu queria Nova York (sim, de novo e se alguém me der uma passagem já tô embarcando amanhã outra vez kkk) e o Nando queria Rota 66. Colocamos os 2 destinos na ponta do lápis e desenhamos o nosso roteiro a partir daí. 

Já contei outras vezes aqui que sou eu mesma que monto minhas viagens, desde passagem aérea, hospedagem, carros, passeios, etc. Eu adoro fazer isso e acabo achando sempre mais vantajoso. Mas muita calma nessa hora, essa preparação "por conta" exige paciência, atenção e muita pesquisa para não dar tiro no pé.

Mas vamos ao que interessa. Nesse post trago um resumão dos nossos destinos e ao longo dos dias farei posts específicos de tudo aquilo que considero relevante compartilhar com vocês sobre cidades e programas diferentes e que vocês não encontrarão com facilidade em outros blogs na internet (exemplo: festivais de abóbora próximos à Philadelphia). 

NOSSO ROTEIRO NOS EUA DURANTE O OUTONO

Época do ano: outubro e novembro
Destinos: Nova York, Las Vegas, Grand Canyon, Indio, Los Angeles, Solvang, Monterey, São Francisco, Philadelphia, Bordentown-Trenton e New Hope - nessa ordem
Tempo total: 24 dias, contando a ida e a volta
Temperaturas: de 2°C à 34°C - mínima em Philly e máxima no deserto da Califórnia
Transportes: Avião, carro e metrô

Pôr-do-sol no Top Of The Rock
NOVA YORK: 6 dias. Essa foi minha 4a vez na cidade e não canso, só fico com ainda mais vontade de voltar. Não alugamos carro, o melhor meio de locomoção lá é o metrô. Na web vocês encontram diversos blogs especializados nas melhores dicas nova-iorquinas, na realidade eu não me sinto apta a dar dicas de lá pois perto deles eu sou super amadora quando se fala de NY - a cidade tem inúmeros passeios e dicas preciosas. Vale a pena pesquisar bastante e já chegar na cidade com uma noção dos principais pontos turísticos que deseja visitar e quais atrações deseja conhecer. Pela variedade tão extensa de programas para os todos os gostos e bolsos, quem não se prepara com antecedência, acaba ficando um pouco perdido ao pisar na Big Apple e sua atmosfera frenética. Eu recomendo no mínimo do mínimo 4 dias por lá.

Las Vegas Sign na entrada da cidade
LAS VEGAS: 2 dias. Pegamos um vôo de NY à Vegas e lá alugamos nosso batmóvel para começar a roadtrip propriamente dita. Sou obrigada a confessar que não tinha Las Vegas na minha lista de desejos e fui somente porque o marido queria muito.  E após voltar continuo com o pré-conceito que eu já tinha antes mesmo de ir; cidade superficial e superestimada. Destino para pool parties e jogatina, apenas. Me desculpem os fãs da cidade, mas Las Vegas não me convenceu. E para ver como opinião é algo muito particular, o meu marido amou a cidade e amou conhecer os lugares onde são gravados os programas favoritos dele: Trato Feito, Loucos Por Carros, Rick Restorations, etc. Portanto, se você tem o sonho de ir para lá, não me permita te colocar para baixo. Já se você tem dúvidas quanto à esse destino, tenha em mente que há grandes chances de você não se surpreender.

Loja de souveniers em Seligman, AZ
ROTA 66 - SELIGMAN, AZ: Na nossa roadtrip pelo Arizona e Califórnia entramos na lendária Rota 66. Seligman é uma cidade gracinha nesse trajeto e claramente sobrevive muito em torno de turistas curiosos que atravessam a rota diariamente. Vou dizer que a cidade é bem fotogênica, mas minúscula. A rota em si não achei que tem nada demais, uma estrada boa asfaltada como qualquer outra nos EUA, não senti essa emoção toda que o marido sentiu kkkk. Mas pessoa querida que sou, deixei ele curtir esse momento mesmo que tenha levado o dobro de tempo até chegar ao Grand Canyon. 

Grand Canyon South Rim
GRAND CANYON: 2 dias. Ficamos hospedados na cidade de Williams, no Arizona - farei um post inteiro dedicado a essa sugestão porque eu acho que vale a pena - Já fiz o post! AQUI. Quanto ao Grand Canyon, já adianto que achei 2 dias pouco. O parque é enorme e acabamos conhecendo apenas o South Rim, se tivesse mais 1 dia gostaria de ter ido até a o North Rim. Andamos muito, vá de tênis e roupa confortável, leve boné, protetor solar e muita água. O parque tem muitas entradas e saídas, tranquilamente se circula de carro e bicicleta lá dentro. Paga-se a entrada por veículo que dá direito à 7 dias de visita. Na entrada do parque você também recebe um mapa com todas as instruções, é bem simples de se achar lá dentro apesar do tamanho do parque.

Joshua Tree National Park
INDIO: 1 dia. Já começo falando que nos hospedamos em Indio por questões de hotel mesmo, caso contrário teria escolhido Palm Desert. Mas como uma cidade é colada na outra, no final das contas dá tudo na mesma. Indio foi escolhida pois precisávamos de um "pouso" entre Grand Canyon e LA e eu sempre tive curiosidade de conhecer o deserto californiano. E de fato é um deserto; areia, clima árido e tudo mais. Arrisco dizer que foi escolha certeira pois lá perto encontramos O MELHOR OUTLET DA VIDA! Também conhecemos o parque nacional Joshua Tree que é bem extenso e tem uma coleção de cactus bastante curiosa (foto acima).

Passeio de bicicleta em Venice Beach e Santa Mônica - LA
LOS ANGELES: 3 dias. Ficamos tempo demais em LA hahaha. Além das praias de Venice e Santa Mônica, não tem lá tanta coisa que instigou meu faro turista e interessada. Valeu pelo passeio de bici que foi muito legal e pelos 2 pôr-do-sol maravilhosos que assistimos: 1) no Píer de Santa Mônica e 2) no Griffith Observatory. Eu esperava mais da cidade, sinceramente. Trânsito chato, pouca infra-estrutura em transporte público, muita ostentação, pouca opção de passeio barato, enfim, não posso dizer que estou entre os fãs do berço de Hollywood.

Solvang, cidade "Dinamarca Style" na Califórnia
SOLVANG: 1 dia. De LA à São Francisco fizemos outra rota americana famosa: a HIGHWAY 1 ou COSTA DO PACÍFICO. Solvang foge um pouco da rota da costa, ela entra um pouco mais no estado, para a parte de vinhedos. A região é bem bonita e valeu conhecer. Se voltaria para Solvang? Acho que não. É bem pequena, gracinha, para conhecer uma vez na vida e pronto. Mas com certeza voltaria para conhecer melhor os vinhedos da Califórnia.

Highway 1 - Costa do Pacífico - Big Sur
HIGHWAY 1 - BIG SUR: De tirar o fôlego. Definitivamente o trajeto mais bonito da Pacific Coast Highway. A costa toda é legal, mas o ponto alto com certeza é a Big Sur que começa a aproximadamente uns 150km de Carmel / Monterey. Digo inclusive que nem achei que valeu a pena fazer todo o trajeto da Pacific Coast e se me permitem dar uma dica é essa: se seu tempo é limitado, faça apenas o trajeto da Big Sur pois lá estão as vistas panorâmicas mais bonitas!

Pôr-do-sol na praia de Carmel
"Sol com chuva, casamento de viúva"

CARMEL / MONTEREY: 1 dia. Escolhi essas fotos do pôr-do-sol e do arco-íris em Carmel pois esse dia foi mágico. Pegamos chuva no final do dia e de repente quando olhamos para o céu, lá estava um arco-íris gigantesco, o maior que já vimos, de um lado e o sol se pondo no oceano pacífico de outro. Vejam na foto o tamanhico das pessoas perto do arco-íris. Carmel e Monterey são cidades coladinhas uma na outra, ambas charmosas e com gostinho de "quero mais". Passamos o final do dia em Carmel, dormimos em Monterey e o dia seguinte passeamos pela região do Fisherman's Wharf de Monterey. Super indico a região para quem quer curtir uns dias mais "off" sem aquela correria de passar férias em cidade grande.

Golden Gate Bridge
SÃO FRANCISCO: 3 dias. A primeira vez que estive em SF foi com meu pai e meu irmão aos 17 anos e eu lembro que ameiiii a cidade, foi tipo o lugar mais legal do mundo na época. E daí imaginem o tamanho da minha expectativa para voltar lá. E nós somente nos decepcionamos quando criamos expectativas, então... Imaginem minha frustração ao perceber que SF nem é tão legal quanto minha memória me levou a crer. Hahaha ai gente, não me levem à mal, SF é sim uma cidade bonita e bem diferente, continuo dizendo que vale muito a pena visitar. Porém, contudo, entretanto, todavia a minha ansiedade era tanta, minhas lembranças tão divertidas, que infelizmente essa passagem pela cidade não fez jus à toda expectativa que coloquei nela (por isso amo NY - NY nunca decepciona!). De mais a mais, acho 2 dias tempo suficiente por lá.

Linvilla Orchards Pumpking Harvest Festival
PHILADELPHIA/BORDENTOWN-TRENTON: 2 dias. Ahááá a viagem está chegando ao fim e por incrível que pareça é onde ficou mais legal! Chegamos na Pennsylvania com zero expectativa. Para ser completamente honesta, colocamos Philadelphia no roteiro só porque voltaríamos para NY e pensamos em alugar um carro e passar os últimos dias num lugar novo e diferente. Acertamos em cheio! Na realidade dormimos numa cidade ao lado, na divisa entre os estados de Pennsylvania e New Jersey: Bordentown-Trenton, farei post porque foi um achado! Eu sabia da foliage nessa época e também sabia das fazendas de abóbora, juntei 1+1 e o passeio que fizemos foi maravilhoso. Fomos numa feira de abóbora, vimos os mais maravilhosos tons de folhas, esbarramos com vários viadinhos passeando pelos jardins das casas, foi massa!

New Hope, PA
NEW HOPE: 1 dia. O Nando queria muito dirigir pelo interior e conhecer cidades fora da rota turística, queria vivenciar a rotina americana propriamente dita. Aí entrou meu instinto, muita pesquisa, muito google maps e descobri essa cidade super fofa: New Hope. É bem pequena mas muito charmosa. Outro verdadeiro achado! A foliage mais linda que meus olhos já viram foi em New Hope - vide foto que abre esse post. E foi lá também que vi as casas mais lindas, dignas de filme - que Malibu, que nada!

+ Saiba mais sobre New Hope

E mais uma viagem chega ao fim! Como vocês puderam perceber, tem lugares que eu amei e lugares que eu dispensaria... E é aquilo que sempre digo: "Ver algo centenas de vezes não é tão bom quanto vivê-lo ao menos uma única vez." Dinheiro gasto em viagem não é despesa, é investimento.

Fui bem sucinta sobre cada lugar nesse resumão para fazer posts sobre cada passeio e cidade separados, acho que fica melhor né? Caso contrário, fica muito longo e ninguém tem vontade de ler até ao final hahaha.

Beijos e até breve!



segunda-feira, 3 de outubro de 2016

PLAYLIST DA SEMANA #14 - ESPECIAL GRACE VANDERWAAL

Oi gente! Na playlist de hoje trago Grace Vanderwaal, uma garota de 12 anos e vencedora da edição 2016 do programa de TV americano "America's Got Talent". Confesso que descobri ela através do programa do Jimmy Fallon "The Tonight Show" essa semana e foi amor instantâneo. A menina é uma fofa e a voz dela definitivamente não pertence à uma criança. Com melodias e letras gostosas de escutar, o estilo de Grace me lembra muito a banda "Of Monsters and Men" e a dupla "Angus & Julia Stone". 
Infelizmente ela ainda tem pouquíssimas músicas divulgadas no youtube e nenhuma no iTunes, mas no Spotify conseguimos encontrar algumas, por isso vou deixar os nomes aqui para vocês. Espero que curtam tanto quanto eu.

Clay

Sunflower Skies
Paint It Red
Waiting for Yesterday
Corners of My Mind
We'll Fly Away

Essa menina já é sucesso!


quinta-feira, 29 de setembro de 2016

CHECK LIST: O QUÊ LEVAR NA MALA DE MÃO EM UMA VIAGEM INTERNACIONAL

Daqui 2 semanas eu saio de férias. IUPIII! E isso me lembra que posso compartilhar com vocês como preparo minha bolsa e mala de mão para uma viagem internacional. Sempre alguns dias antes de fazer uma viagem mais longa, gosto de elaborar um check list e já ir organizando os pertences para que nada seja esquecido. Sou dessas que não gosta de esquecer nem a escova de dente. Portanto, para não haver surpresas negativas, me organizo com antecedência e também já deixo a necessaire e a mala de mão no corredor do quarto uns 4 dias antes para aos poucos ir colocando as coisas na mala.

Os itens selecionados para guardar ou na bolsa ou na mala de mão são escolhidos por ordem de importância e/ou utilidade. Por exemplo, passaporte, passagens e itinerários, estão SEMPRE na bolsa pois é mais fácil de pegar no momento do portão de embarque ou na imigração.

CHECK-LIST BOLSA: 

Passaporte - confira datas de validade, vistos e vacinas (quando for o caso)
Óculos de sol - 1 par
Carteira: cartões e dinheiro 
Celular 
Carregador de celular 
Fone de ouvido 
Remédios (dor de cabeça, pílula, rinite, etc) 
Hidratante de mãos 
Hidratante labial 
Passagens, reservas, itinerário 
Lenço de papel 
Kindle ou 1 livro 
Prendedor de cabelo
1 par de meias - quando não estou de tênis (sinto muito frio no avião e calço durante o vôo)


Na bagagem de mão é sempre importante colocar alguma peça de roupa limpa para no caso, desesperador, da sua mala não chegar junto com você ao destino, ao menos você não fica apenas com a roupa do corpo. É essencial ao menos uma peça de lingerie e uma blusa extra.

CHECK-LIST MALA DE MÃO:

2 peças de lingerie
1 par de meias
2 camisetinhas de algodão
1 blusa de fio
1 calça
Câmera fotográfica e carregador
Tablet
Jóias e relógios (não recomendo despachar)
Óculos de sol - 3 ou 4 pares (não gosto de colocar na mala despachada)
Lenço umedecido
Sabonete facial
Desodorante (não pode ser aerosol)
Protetor solar
Kit make rápida (corretivo, kit sobrancelha, pó, rímel e blush)
Escova e pasta de dentes
Escova de cabelo
Pomadas para alergia
1 calçado


Apesar de ir arrumando minhas coisas alguns dias antes para evitar qualquer esquecimento, ainda assim eu sempre confiro o check-list antes de fechar a mala definitivo. Afinal, já diz o velho ditado: "o seguro morreu de velho". 

ATENÇÃO: é muito importante que sua mala de mão esteja dentro dos padrões aceitos pelas cias aéreas. Cada cia tem uma regra quanto ao peso, que vai depender do destino e da classe em que você está viajando, vale consultar para saber exatamente o peso permitido. Mas o tamanho é, em geral, sempre o mesmo. As dimensões para bagagem de mão permitidas dentro da cabine são: 55x35x25cm.

Lembrete: na bagagem de mão são permitidos no máximo 10 frascos de 100ml cada. Portanto, para não correr o risco de ver seu perfume, cosmético ou qualquer líquido que seja, sendo jogado fora, lembre-se desse detalhe: não coloque na mala de mão frascos acima de 100ml.

Quais são os itens essenciais na sua mala de mão?



sexta-feira, 16 de setembro de 2016

OS PIORES ERROS DE BELEZA QUE COMETI NO INÍCIO DA VIDA ADULTA


Essa semana me peguei revendo fotos antigas, da adolescência e do início dos meus 20 anos. E algo que não pude deixar passar despercebido foi como eu cometi erros de maquiagem e cuidados com a pele nessa fase da vida. Não usei os produtos e nem as ferramentas adequadas para meu tipo de pele e muito menos consegui realçar minha beleza. Seria ótimo se pudéssemos usar removedor de maquiagem em fotos.

Depois que entendi a importância de ter os pincéis apropriados, usar hidratante e protetor solar, e deixar um pouco de lado o lápis preto, foi quando tudo começou a dar certo.

Aqui estão os maiores erros de beleza cometidos no início da minha vida adulta:

1. Fazer demais a sobrancelha. Essa é clássica. Quem nunca?! Eu tinha essa mania terrível de tirar todo e qualquer pelinho que crescia "fora" da linha da minha sobrancelha. A pior ferramente de beleza que se pode colocar na mão de uma adolescente é uma pinça! Eu simplesmente detonei com a minha sobrancelha. E como consertar? Infelizmente, minha sobrancelha nunca mais voltou ao seu natural esplendor, mas sou adepta aos truquinhos. Todo santo dia uso um kit de sombra corretora para sobrancelhas e também uma loção que ajuda a engrossar e ativar o crescimento de cabelos. Uma sobrancelha bonita é a moldura do rosto.

2. Não usar protetor solar. Triste em admitir que passei a usar protetor solar somente depois dos 20 anos. Não é a toa que meu rosto tem muitas pintinhas e manchas de espinha. Esse "clique" do protetor solar nunca veio. Quem me apresentou a melhor marca de todas e que uso até hoje foi minha esteticista querida (oi Dani!) e insistiu para que eu usasse todos os dias. Bom, antes tarde do que nunca, não é? Mas não faça como eu, comece antes, comece desde muito nova a cuidar da sua pele do rosto.

3. Usar muito lápis preto na linha d'água.  Eita, que essa fica horrorosa nas fotos, hein! Quando eu tinha 13 anos a minha ideia de maquiagem consistia em basicamente passar muito lápis preto no olho, e só. Que fase. Depois que fui apresentada ao lápis marrom e aos inúmeros tipos e marcas de rímel foi quando a vida deu aquela guinada na direção certa. 

4. Não usar hidratante facial. Minha pele é oleosa e durante muitos anos da minha vida entendi que por esse motivo eu não precisaria/deveria usar hidratante. Ledo engano. Por isso existem hidratantes específicos para cada tipo de pele. Passei a usar não muito tempo atrás, talvez 3 anos e como vi melhora no meu rosto, sério. A oleosidade, espinhas e cravos diminuíram drasticamente. Independente se sua pele é seca, oleosa ou mista, invista em um bom hidratante facial.

5. Usar a cor errada de batom. Quem lembra do Myth e do Snob da MAC? Esses batons foram hit em 2010 e deixaram muita boca estranha de lembrança. Eu mesma comprei vários batons nessas tonalidades de gosto duvidoso. O contraste da cor com meu tom de pele não era nada favorável. Muitas vezes temos essa mania de querer copiar o que fica bom nas nossas amigas, mas que nem sempre fica bonito em nós. Hoje posso até me inspirar nas migas, mas antes de comprar me certifico que aquele tom funciona no meu rosto.

6. Aplicar corretivo de maneira errada. Eu tenho olheiras roxas, escuras e fundas. E eu tentava cobri-las passando pouquíssimo produto e apenas diretamente abaixo dos olhos. Foi quando conheci os maravilhosos tutoriais do Youtube que aprendi a aplicar corretivo da maneira correta; formando um triângulo invertido desde dos olhos até o nariz.  


E você, aprontou dessas quando era mais nova? Ou desde sempre
soube se arrumar muito bem?

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

4 COMBINAÇÕES DE CORES PARA MONTAR LOOKS INTERESSANTES

Ter algumas combinações de cores já pré-selecionadas em mente pode vir bem a calhar naqueles dias em que nos faltam inspirações para nos arrumar. Aliás, adicionar uma terceira cor é um truque certeiro. Não precisa necessariamente ser uma terceira peça de roupa, pode ser um calçado, cinto, chapéu ou bolsa. Selecionei 4 combinações de cores interessantes e que montam um look estiloso!


MARINHO + BRANCO + CARAMELO



BRANCO + CINZA + ROSÉ



CARAMELO + BRANCO + PRETO 



AZUL + JEANS + CINZA

Gostam da seleção?

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

MEDITAÇÃO E VIVER O AGORA: 2 LIVROS E 1 APP QUE VÃO TE AJUDAR A INICIAR A PRÁTICA

Gisele Bündchen, musa inspiradora

Imagine uma sala de laboratório de química, com todas aquelas prateleiras cheias de vasilhames de vidro e peças frágeis, incontáveis frascos com substâncias e ácidos, fogão, cadeiras, balcões e pias. Então imagine soltar um macaco com um taco de baseball no meio dessa sala. Em pouco tempo ele começa a quebrar tudo e fazer muito barulho. Pense na bagunça. Essa é uma analogia para conseguirmos visualizar como funciona a nossa mente. A diferença é que o macaco eventualmente irá se cansar e parar, mas nossa mente com seu fluxo incansável de pensamentos, memórias e opiniões, não pára nunca. 

Nós precisamos fazer a nossa mente descansar. É um desafio diário. Um esforço tremendo pegar esse "macaco" e fazê-lo ficar parado. Apenas observando. Sem se mexer. Sem pensar. Apenas respirando. 

Quem já pratica meditação sabe que não é um processo simples. Exige muito esforço e dedicação para esvaziar a nossa mente. Mas a sensação e os benefícios são altamente recompensadores. Se você deseja iniciar e tem tido dificuldades ou não sabe como nem por onde começar, recomendo a leitura de 2 livros que me ajudaram muito a despertar a mente, colocar em prática o "viver o agora" e também a entender um pouco melhor a relação entre meditação e budismo. São livros de fácil leitura e compreensão. 




O PODER DO AGORA eu li entre o final de 2014 e início de 2015, foi indicação do meu padrinho (Alô Neni!) que fez o Caminho de Santiago da Compostela e para mim foi um livro transformador. De mente e de entendimento da vida. O livro é elaborado no modelo  de pergunta e resposta, linguagem simples e ajuda a esclarecer muitas dúvidas. Como o título sugere, aborda bastante a questão da presença no momento onde a vida acontece, no agora, como focar sua mente para que ela não sofra com o passado e nem fique ansiosa com o futuro.

NO CORAÇÃO DA VIDA esse livro eu comprei em 2015, porém ele ficou esquecido no meu Kindle até que essa semana resolvi abrir para ler. Nossa, se eu soubesse que era tão bom já teria lido antes! Jetsunma Tenzin Palmo é britânica, mudou-se para Índia aos 18 anos, viveu reclusa em uma caverna no Himalaia por 12 anos e durante esse tempo fez nada além de meditar e buscar a iluminação espiritual. O livro traz o testemunho da monja Jetsunma Tenzin Palmo sobre o verdadeiro significado de felicidade e qual o caminho para atingir sabedoria e compaixão genuínos. Ela traz de forma muito sábia e verdadeira seus ensinamentos para levar uma vida mais leve.

HEADSPACE Eu tenho mais um truque na manga! É um aplicativo de celular chamado Headspace e pode ser baixado gratuitamente na App Store.


Ícone do aplicativo

É um aplicativo que ajuda a induzir a meditação de forma gradativa. Inicia com 10 minutos diários e aos poucos vai prolongando a prática. Além das sessões programadas, tem também os "Singles" que são sessões de 1 à 3 minutos que ajudam a espairecer ao longo do dia. O aplicativo é uma "mão na roda" para quem tem dificuldade em meditar, só tem um porém: disponível apenas em inglês. As sessões são induzidas através de áudio, então é necessário entender e compreender inglês. Experimente, não é difícil entender o que Andy fala.

                                                                                                                                                           

Pare de arranjar desculpas para adiar a prática de meditação. Depende apenas de você. Esvazie a mente e veja como as ideias ficam mais claras. Comece meditando 5 minutos e sinta sua vida melhorar. Comece hoje.

Namastê!