terça-feira, 19 de setembro de 2017

MÁSCARA FACIAL DE CAFÉ COM MEL - EXFOLIANTE NATURAL

Tempos atrás eu gravei um vídeo bem caseiro mostrando uma máscara poderosa contra manchas no rosto usando Hipoglós (Assista AQUI) e o vídeo alcançou muito mais visualizações do que eu poderia, um dia sequer, imaginar e isso me animou a mostrar outra máscara caseira que eu faço com frequência.

Compartilho hoje com vocês uma máscara natural, muito barata, que faz uma exfoliação impressionante e deixa nossa pele incrivelmente macia e iluminada. Essa máscara leva borra de café, mel e óleo de amêndoas. Confira no vídeo abaixo em mais detalhes:


Beijos e até breve!

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

BEAUTYPEDIA.COM - O SITE QUE DEVEMOS CONSULTAR ANTES DE COMPRAR COSMÉTICOS


Esses dias estava eu louca fuçando o site  da Sephora dos EUA atrás de hidratantes que prometessem milagres a um preço acessível. Vocês não fazem ideia de quantas abas eu abri aquele dia comparando várias marcas, vários tipo de hidratantes, séruns e máscaras faciais em busca de um potinho para chamar de meu. Abre um creme aqui, abre outro sérum acolá, comecei a ficar tonta com tanta informação que as marcas disponibilizam a respeito de seus produtos. Resolvi então, ler todos os comentários das consumidoras que adquiriram aqueles produtos. Mais uma enxurrada de informação e opiniões, essas baseadas em experiências pessoais. 

Eu sempre gosto de ler as avaliações de consumidoras reais, como eu e você, e saber o que elas sentiram usando determinado produto. Já que vou deixar uma quantia razoável de meu querido dinheirinho, gosto de saber o que outras pessoas acharam. 

No final eu estava muito, muito indecisa entre 3 produtos e não conseguia me decidir, joguei o nome da marca e do creme de um deles no nosso amigo de longa data ~Google e eis que... Aparece um tal site beautypedia.com fazendo uma avaliação sobre o produto e mais, era uma avaliação técnica, feita por profissionais entendidos do assunto, comentando quimicamente sobre os componentes do creme, inclusive comentando se a embalagem era adequada ou não. Na hora bateu o estalo "Opa, isso aqui é promissor, vou jogar na pesquisa os outros 2 produtos aqui também" e gente, que descoberta incrível esse site. 


Como eles mesmos se intitulam: "A mais confiável, baseada em pesquisas científicas, avaliação sobre produtos de beleza e maquiagens profissionais." 

O site é todo em inglês, mas em tempos de Google tradutor, ninguém mais passa aperto. O site traz avaliações sobre diversos produtos, de diversas marcas disponíveis no mercado, desde as mais conceituadas, caríssimas, até as mais simples, vendidas em farmácias. As avaliações são feitas de acordo com pesquisas científicas publicadas e não são feitas em cima de opiniões pessoais. Os profissionais levantam questões bem pertinentes durante as avaliações, com certeza virou minha referência quando quero saber mais sobre determinado cosmético e/ou maquiagem. Estou simplesmente viciada, passo o maior tempão lendo as avaliações antes de escolher qual produto o meu dinheiro vale comprar. E como dica boa é dica compartilha, compartilho esse achado hoje aqui com vocês. Espero que curtam tanto quanto eu!

Beijos ;)

*Fotos: Reprodução

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

EVERGLADES ALLIGATOR FARM


Hoje conto para vocês um pouco mais sobre um dos passeios mais legais que fizemos na Flórida: o Everglades Alligator Farm. A apenas 1 hora de carro de Miami, Everglades é um parque nacional composto por um gigante pântano com extensão superior a 600 mil hectares de habitat tropical e um dos ecossistemas mais diversificados do mundo. O parque recebe a visita de pelo menos 1 milhão de turistas todos os anos. O parque pode ser visitado em forma de visita auto-guiada percorrendo suas trilhas e/ou visitando uma das diversas fazendas de aligatores da região. Nós optamos por visitar a fazenda por indicação da recepção do hotel e também por indicação do TripAdvisor. 

Everglades Alligator Farm é uma das fazendas mais conhecidas e está localizada dentro da região do pantanal. Para chegar lá de carro é muito simples, vou deixar o endereço certinho ao final do post. A fazenda cobra 2 valores diferentes de entrada: 1 valor para shows e fazenda e 1 valor para shows, fazenda e passeio de airboat. Eu recomendo fortemente que paguem o ingresso com direito a passeio de airboat, pois vale muito a pena. Nós pagamos em torno de USD 25,00/pessoa incluso passeio de airboat.

+ Acompanhe nosso passeio em Rainbow Springs, o paraíso quase de graça no coração da Flórida

A fazenda abre diariamente das 9 da manhã até 17:30 da tarde, não há necessidade de reservar com antecedência, nós compramos nossos ingressos na hora. A fazenda faz 3 apresentações diferentes com hora marcada, assim como os passeios de airboat, que também saem com hora marcada. No momento que você chega no parque, na recepção você receberá o cronograma com os próximos horários de apresentação e saídas do airboat. As apresentações e passeios de airboat se repetem ao longo do dia, portanto independente do horário que você chegar, você terá tempo de ver tudo, mesmo que em ordem diferente da nossa. Nota: o ingresso dá direito somente à 1 usada no passeio de airboat. Nós chegamos um pouco antes das 10 horas da manhã e saímos do parque um pouco depois do meio-dia, ou seja, é um passeio que consome algumas horas e não um dia inteiro, para quem está hospedado em Miami, dá para encaixar um bate-volta sem problema algum. 


A fazenda faz 3 apresentações diferentes: 

1. Uma das apresentações envolve cobras, esses animais tão carinhosos, que despertam alegria por onde passam. HAHA!  O show com cobras envolve participação do público e nesse dia, eu fui a convidada de honra a segurar esse adorável réptil de 30 kg em volta do meu pescoço. Foi uma experiência única, porém aterrorizante, confesso. Eu fiquei muito nervosa, tenho muito medo de cobra e quase desmaiei no final daqueles 2 minutos que mais pareceram durar 2 horas. A verdade é que a cobra não tinha veneno e já estava bem alimentada, portanto eu não corria nenhum risco de vida, mas ainda assim a sensação de ter uma cobra passeando pelo meu corpo não foi nem um pouco agradável. Apesar dos pesares, valeu a pena, eu saí viva e com essa recordação especial. Se faria novamente? Sim, faria novamente e provavelmente passaria menos nervoso. 


Durante a apresentação nós aprendemos um pouco mais sobre as espécies de cobra e algumas delas podemos ver pessoalmente enquanto passeamos pelo viveiro dentro da fazenda. Ao contrário do que muitos pensam, e eu posso dizer por experiência própria, as cobras não são geladas e nem gosmentas. A temperatura corporal é igual a nossa e elas tem toque de seda seco, não é um animal "melecado" como nosso pensamento leva a crer. Ao final da apresentação, a platéia é convidada a "acariciar" as cobras. 

Olha eu aqui, super íntima da cobrinha, fingindo costume depois de ter segurado a "cobra-mãe"

2. Outra apresentação é com aligatores, outro espetáculo que envolve aprendizado e emoção. Aprendemos a diferença entre aligatores e crocodilos, como e onde vivem, o que comem, como se comportar no caso de se deparar na presença de um desses animais - a sugestão que eles dão é que você corra bem rápido rs. O treinador ensina as técnicas que os primitivos utilizavam para pegar essas criaturas do pântano. Após o espetáculo, nós temos a oportunidade de segurar um baby aligator e depois de ter participado, quase me bateu um arrependimento, fiquei com o coração dividido. No final das contas, não sei se curti ter segurado um aligator que claramente é nocivo, caso contrário não estaria com a boca amarrada e portanto não deveria estar ali para servir de entretenimento...


Quanto ao aligator adulto que participa da apresentação, o treinador me explicou que eles fazem rodízio entre uns 5 aligatores que são mais "fáceis" de trabalhar e que existem alguns que são mais agressivos que outros dentro da fazenda. E também garantiu que em nenhum momento os animais sofrem qualquer tipo de maus-tratos afim de se tornarem "educados" para o palco.

A foto está longe, mas nesse momento ele "capturou" o aligator

3. A terceira e última apresentação, é a hora do lanche dos aligatores, na lagoa central da fazenda. Dentro da área da lagoa vivem mais de 500 aligatores e é curioso como próximo à hora do "rango" eles vão chegando de mansinho, garantindo espaço entre os primeiros da fila e olhando sempre na direção da arquibancada, que é onde os treinadores servem os alimentos. É interessante sentar um pouco antes da apresentação e apreciar a interação entre eles, a natureza é fantástica.


O menu é coxa de frango cru. Hmmm, que delícia, não?! E eles servem apenas algumas, pouco suficiente para servir de aperitivo a 5 aligatores sortudos. O motivo é que os aligatores encontram comida naturalmente dentro da lagoa, sem necessidade de serem alimentados pelos treinadores e além do mais, se dependessem somente disso, ali dentro iria ser um verdadeiro arranca-rabo. No curto espaço de tempo em que ficamos por ali, assistimos à algumas disputas de território. 


AIRBOAT RIDE

Definitivamente a parte mais divertida do tour, a cereja no topo do bolo! O airboat é um barco com motor v8 exposto e a fazenda fornece protetores de ouvido, de uso obrigatório, durante o passeio. O passeio de airboat tem duração de aproximadamente 25 minutos e é tão divertido que a sensação é de que acaba rápido demais. Durante o passeio nós podemos ver diversos aligatores, além de passear pelo pântano com emoção. É um passeio molhado e aqueles que sentam na primeira fileira do barco se molham bastante. Nós nos sentamos na segunda fileira e nos molhamos consideravelmente, mas não ao ponto de sair pingando. É importante, entretanto, ir com calçado aberto, de chinelo mesmo e evitar roupas brancas, afinal o passeio é no pântano e a água é marrom.


Endereço Everglades Alligator Farm: 40351 SW 192 Avenue Homestead, FL 33034.

E você, ficou curioso para conhecer ou já conhece o Parque Nacional de Everglades? Vou adorar saber a sua opinião aqui nos comentários.

Beijos e até a próxima!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

RAINBOW SPRINGS - O PARAÍSO QUASE DE GRAÇA NO CORAÇÃO DA FLÓRIDA

Neste post eu irei falar para vocês sobre um passeio maravilhoso que fizemos em Ocala, uma cidade localizada na região central do estado da Flórida, está a apenas 1h30 de carro da popular Orlando e que pouquíssimas pessoas conhecem a respeito. Apesar dos springs serem bem populares entre os moradores locais, esse é um passeio que acaba atingindo pouquíssimos turistas estrangeiros e acredito que o motivo disso seja bem simples: os turistas estrangeiros simplesmente desconhecem a sua existência.


Springs são lagos formados naturalmente onde a água flui de um aquífero para a superfície da Terra. A água de um spring mantém a mesma temperatura ao longo do ano, independente se inverno ou verão, a temperatura de um spring é sempre 72°F ou 22°C. E apesar da sensação ser bem gelada no primeiro mergulho, logo o corpo acostuma e a temperatura se torna agradável para o nado.

E hoje eu trago para vocês um dos muitos springs espalhados pela região de Ocala: Rainbow Springs State Park, que está localizado na cidade de Dunnellon.

Rainbow Springs é um parque estadual com cobrança de entrada, que é apenas um valor simbólico para manutenção do parque. O ingresso custa a bagatela de USD 2,00 por pessoa e é válido por 1 dia. Pode sair do parque e retornar a qualquer momento do dia dentro do período de abertura do parque apresentando o ingresso adquirido no dia, desde que o parque não esteja com capacidade máxima. É isso mesmo, durante os meses de verão, tamanha a popularidade do spring, o parque pode atingir lotação máxima logo nas primeiras horas do dia e pode recusar entrada de novos visitantes ou visitantes que foram embora e decidiram retornar.


O parque abre diariamente as 8 horas da manhã e se você estiver visitando o parque durante dias de verão, finais de semana e/ou feriados, é imprescindível que chegue cedo, de preferência até as 9 horas da manhã, para garantir a sua entrada e também para curtir o lago e as trilhas ainda com poucas pessoas e sem o agito das crianças e adolescentes que chegam em turmas para curtir o local.

Rainbow Springs é considerado um dos melhores springs da área para nado e também um dos mais belos. Dentro do parque temos uma piscina natural com água límpida em tons de azul e verde, um deleite para nossos olhos. A profundidade da piscina é de aproximadamente 2,5m, então é legal levar pé de pato, snorkel e até mesmo um "spaguetti" ou boias para flutuação. E se você não tem esses apetrechos na mala, não se preocupe, pois na entrada do parque há uma loja que vende esses acessórios. A área designada a banhistas dentro do parque é delimitada por uma rede de proteção submersa que previne aligatores de entrarem na mesma zona onde as pessoas estão mergulhando - ufa, um alívio hein, diz aí! Aligatores são comuns em toda a Flórida e é sim possível encontrá-los em regiões que combinam gramado e água. Inclusive, há diversos sinais de alerta espalhados pelo parque para manter atenção caso encontre com um desses amiguinhos.


Logo na entrada do parque tem um restaurante, mas no dia em que fomos e no horário em que estávamos por lá, não vimos ele aberto. Acredito que funcione a tarde ou somente em dias de muito movimento. É permitida a entrada com comidas e bebidas, no entanto, é expressamente proibida a entrada com bebidas alcoólicas. É permitido ainda entrar com cadeiras e boias. Dentro do parque há aluguel de caiaques e pranchas de SUP para aqueles que desejam remar pelo rio - detalhe, o único local dentro do parque com proteção contra aligatores é somente dentro da área designada a banhistas que comentei no início do post e que vocês podem conferir na foto acima. O restante do parque é todo por sua conta e risco.

O parque oferece, além da piscina natural e do passeio de SUP ou caiaque pelo rio, trilhas e cachoeiras em seu entorno. Contei pelo menos 3 cachoeiras nas trilhas. As trilhas são curtas e super tranquilas para fazer, mesmo sem calçado apropriado - leia-se, de chinelo. O caminho das trilhas é pavimentado, sinalizado e possui vários bancos espalhados e até mesmo mesas para piquenique. Tudo para garantir que você passe um dia muito gostoso em meio a natureza.



Sobre o passeio de caiaque: o aluguel para 2 pessoas custa USD 30,00 para 2 horas. Você aluga o caiaque dentro do parque mesmo, a barraca fica logo na saída da "piscina", próximo aos banheiros, não tem como errar. Para remar todo o rio leva em torno de 45min na descida e 1h15 no retorno, pois na volta remamos contra a correnteza. Sendo bem franca, a remada é cansativa e como eu e meu marido não estávamos afim de fazer academia cansar demais o braço, nós remamos somente até metade do rio, não fomos até o final e aproveitamos para curtir bem aquele passeio, parando para filmar, bater fotos e descansar durante o trajeto.

O passeio é lindo. Repleto de natureza e cercado por animais. Nós remamos na companhia de lontras, aves, patos, peixes e muitas tartarugas. Por sorte não vimos nenhum aligator, ainda bem, porque sinceramente não sei que tipo de ataque eu teria.


Ao longo do rio dividimos espaço com lanchas e barcos de pequeno porte, porém todos respeitam o limite de velocidade, o que torna o passeio de caiaque e pranchas de SUP muito seguro. Existem algumas casas construídas na margem do rio, imagina que delícia acordar e dar de cara com um lugar desse?! O rio é tão silencioso, super tranquilo e relaxante. Transmite uma paz tremenda estar rodeado por tanta natureza e mais, uma natureza que é conservada e preservada.

Rainbow Springs State Park definitivamente entrou para a lista dos lugares mais especiais que já visitei e quando tiver a oportunidade de visitá-lo novamente, assim o farei.


Endereço do parque: 19158 SW 81st Place Road, Dunnellon, FL 34432.
Site oficial: Florida State Parks - Rainbow Springs

+ Acompanhe nosso roteiro completo pela Flórida

Beijos e até a próxima!

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

GIRL CRUSH: OLIVIA PALERMO - INSPIRAÇÃO 365 DIAS POR ANO

Olivia Palermo, a socialite norte-americana que é ícone de moda e estilo. E eu não posso acreditar que até hoje eu nunca tinha feito um mural de inspirações inspirado nela. Até hoje. Por que hoje eu corrijo esse erro e hoje tem mural de inspirações com ninguém menos que Olivia Palermo. 

Eita mulher maravilhosa e de gosto impecável quando o assunto é roupa e estilo. Não canso de me inspirar nela e sempre que posso dou uma atualizada no meu álbum do Pinterest que carrega no título o nome da protagonista do post de hoje. 

O estilo de Olivia Palermo é clássico, casual, chique e atemporal. Eu considero o estilo dela bem consistente e, apesar disso, eclético. Temos o combo jeans, camisa e sapatilhas, mas temos também sapatos marcantes e peles exageradas. Ela segura looks que vão do básico ao extravagante sempre com muito charme e elegância. Tem ousadia e tem também simplicidade. O estilo de Olivia é delicado, feminino e romântico. É moderno ao mesmo tempo em que é clássico. Não é a toa que ela se tornou referência no mundo na moda quando o assunto é estilo e bom-gosto. Musa inspiradora de fashionistas e verdadeira it-girl. 

Entre seus acessório favoritos, podemos encontrar alguns que estão sempre em evidência: bolsas. Muitas bolsas, grandes, pequenas, neutras e coloridas. O celular ajuda a compor o look e ele está quase sempre em sua orelha - tipo, I'm very busy, ok?. Óculos de sol também entra na lista e claro, o seu acessório mais fofo, que é seu cachorrinho, o Mr. Butler.

Percebam que não consegui selecionar poucos looks, Olivia tem muito a nos ensinar.

MURAL DE INSPIRAÇÕES


Olivia adora uma pernoca de fora, hein? Quem é que não gostaria de ter o guarda-roupas dessa mulher?! E mais, eu gostaria mesmo era de ter o bom-gosto e criatividade que ela tem na hora de se vestir. Desejo à Olivia vida longa para nos inspirar por muitos e muitos anos.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

NOSSA VIAGEM PARA A FLÓRIDA - PARTE 2

Bem-vindos à segunda parte do post sobre a nossa viagem para a Flórida. Se você ainda não leu a primeira parte, clique no link abaixo para acompanhar nossa viagem desde o início.

+ Nossa viagem para a Flórida - Parte 1

No post anterior eu contei para vocês sobre nosso dia em Miami, sobre nosso tão sonhado cruzeiro para as Bahamas e também sobre nossa experiência incrível no Parque Nacional de Everglades. Agora continuamos nossa viagem de carro pela Flórida, nessa aventura que foi muito além da expectativa.


KEY WEST

Depois de passar um dia muito diferente e divertido no Everglades, nós seguimos viagem rumo ao ponto mais sul dos Estados Unidos, atravessando a 7 Mile Bridge e várias ilhas e paisagens de tirar o fôlego até chegarmos na charmosa Key West. 

Key West, assim como o Everglades, é um destino mais popular entre os americanos e europeus. Confesso que esbarramos com pouquíssimos, praticamente nenhum, brasileiro turistando pelas "bandas de lá". Key West é a última cidade ao sul dos Estados Unidos, a última ponta das ilhas e está a 900 milhas de Cuba. É uma cidade de praia, esportes aquáticos e turismo, mas tem também uma base naval americana situada no meio da cidade, colada na praia. É até engraçado você "de boas" curtindo uma praia, relaxando e ao longo do dia vários caças sobrevoando a sua cabeça.

Key West é o tipo de cidade que parece montada para cenário de filme. Todas as casas e edificações seguem a mesma linha de construção provençal, com jardins, bem cuidadas e não vemos prédios altos. Muita gente anda de bicicleta, com suas cestinhas carregadas, indo e vindo bem tranquilamente e sendo respeitadas pelos carros. Apesar de pouco tempo em Key West, deu para perceber bem a dinâmica do lugar: durante o dia é praia, descanso, esportes aquáticos e sol. Durante a noite é diversão! A principal rua da cidade se chama Duval Street e durante a noite fica super movimentada, é lá onde tudo acontece. Os bares e restaurantes ficam cheios, o pessoal sai na rua para encontrar os amigos, visitar exposições - na Duval St. tem várias galerias de arte e tomar uns bons drinks. 

Me deu um aperto no coração de ir embora de Key West. Deu uma vontade enorme de largar tudo e me mudar para lá - rs. 



OCALA - RAINBOW SPRINGS

Saímos de um paraíso e chegamos em outro. Essa viagem foi uma sequência de paraíso atrás de paraíso. Pouquíssimas pessoas conhecem ou já ouviram falar em Ocala. Ocala está localizada bem no centro da Flórida, a aproximadamente 1h30 de carro de Orlando. E você me pergunta: o quê tem de bom para fazer lá? Pois eu te digo: springs!

Springs são como lagos e a região de Ocala, nos arredores de cidades como Dunnellon e Silver Springs, por exemplo,  é recheada desse cenário natural. Existem vários springs espalhados pelo condado, alguns mais famosos e outros menos. Quando digo "famoso", quero dizer entre o pessoal local mesmo, que mora pela área. Porque na verdade, esses springs não tem divulgação nenhuma para turismo, ao menos eu não vi. Eu encontrei esses springs nas minhas caçadas por passeios e cidades diferentes quando montava o roteiro. Farei ainda um próximo post contando para vocês 3 ferramentas essenciais que eu utilizo na hora de montar um roteiro esperto. 


Entre tantas opções de springs, eu escolhi previamente ainda aqui do Brasil o Rainbow Springs e quando fizemos check-in no hotel em Ocala, troquei uma ideia com o pessoal na recepção do hotel e pedi a sugestão deles. No final das contas, chegamos a conclusão que para nós naquele momento, a melhor opção era mesmo Rainbow Springs, já que teríamos apenas 1 dia na cidade e ele é considerado um dos parques mais bonitos da área. 

Rainbow Springs é um parque estadual e cobra entrada. O parque oferece uma piscina natural para banhistas (que tem uma água absurdamente limpa, é impressionante!) e para completar a diversão, é possível alugar caiaques e stand-up paddles para remar pelo rio. A fauna é muito diversificada e é completamente possível encontrar aligatores andando por ali! Nós remamos de caiaque na companhia de lontras, pássaros, patos, peixes e muitas tartarugas. Foi inesquecível e emocionante estar tão próximo da natureza.

Eu vou fazer um post específico contando sobre esse passeio em maiores detalhes, pois merece e é uma dica das boas! Por ora eu digo que valeu muito a pena e se pudesse, teria ficado pelo menos mais um dia em Ocala para curtir outros springs da região. 


ORLANDO - DISNEY

Quem me conhece sabe que eu nunca fui uma grande entusiasta da Disney. Porém, nessa viagem, nós teríamos tempo de sobra e estaríamos tão perto que pensamos "porquê não?!" e assim incluímos dois dias de parques temáticos da Disney no nosso roteiro. Os dois parques escolhidos foram: Magic Kingdom e Universal Studios.

Magic Kingdom é o cartão postal da Disney, com o castelo e todos aqueles personagens que fizeram parte da nossa infância, e foram esses os motivos que nos convenceram a escolher passar 1 dia lá. O parque na realidade é bem infantil e com poucos brinquedos legais. Chegamos lá super cedo, 8h30 aprox., fomos nos brinquedos que queríamos logo cedo para evitar grandes filas e quando deu 14h nós já estávamos de saco cheio entediados e prontos para ir embora. Nós só aguentamos até o final do dia pois todas as pessoas com quem conversamos, insistiram que deveríamos ficar para assistir ao show de fogos Happily Ever After às 21h.

Resumo da ópera: deixamos para comprar os ingressos 1 dia antes diretamente no site da Disney disneyworld.disney.go.com e baixamos o app MyDisney Experience para reservar o fastpass+. Qualquer pessoa que comprar o ingresso para o Magic Kingdom tem direito a essa mordomia gratuitamente. O fastpass+ te dá direito a reservar 3 brinquedos antecipadamente para entrar com hora marcada, ou seja, o famoso "fura-fila" que vem a calhar, pois alguns brinquedos chegam a ultrapassar 2h de espera. O fastpass+ abre 30 dias antes da data do seu ingresso, ou seja, aconselho comprar o ingresso com 1 mês de antecedência para fazer o melhor uso do fastpass+. Como nós acabamos nos enrolando com os parques e até o último minuto ainda não tínhamos batido o martelo, compramos o ingresso em cima da hora e não havia mais fastpass+ disponível para nenhum dos brinquedos que queríamos ir. Quén quén quén... Na minha singela opinião, segue os melhores brinquedos para adolescentes e adultos: Space Mountain, Splash Mountain, Seven Dwarfs Mine Train e Big Thunder Mountain. Ah, o show de fogos Happily Ever After que acontece a noite realmente é imperdível, viu! Foi o que salvou nosso dia no parque. São 15 minutos que você nem pisca.

Outras informações importantes: é permitido entrar com comida e bebida. Nós levamos água, o que foi um grande favor que fizemos ao nosso querido bolso! Os lanches acabamos comprando dentro do parque mesmo e foi um verdadeiro assalto para quem precisa converter tudo por R$3,50.


Nosso segundo e último dia de parques foi dia de Universal Studios. Esse sim foi divertido e valeu bem mais o valor do ingresso. Novamente nós nos programamos para chegar cedo, antes da abertura oficial do parque. O parque abre oficialmente as 9h, porém a Vila do Harry Potter abre as 8h e os brinquedos mais populares abrem somente as 10h. Esses horários são perfeitos para evitar filas. Com um pouco de organização e alguma sorte, nós pegamos praticamente zero fila em todos os brinquedos que nós fomos. Abaixo eu compartilho com vocês a ordem dos brinquedos que nós fizemos para vocês testarem a sorte também.


Chegamos as 8h30 e fomos direto para a vila do Harry Potter, pois essa é bem popular e tende a ficar lotada com o passar do dia. Dentro da vila do Harry Potter tem um brinquedo 4D muito legal, chama Harry Potter and the Escape from Grigotto, valeu muito a pena, ainda mais porque chegamos cedo e pegamos apenas 20min de fila, passou voando. Deixe para passear pela vila mais tarde, aproveite o horário de manhã cedo para ir nos brinquedos concorridos, evitando assim grandes filas. Saindo da vila do HP fomos direto para o Transformers, fomos os primeiros a entrar - 0min na fila - yes! De lá, direto para Revenge of the Mummy e de lá direto para Rock it! - a montanha-russa mais radical do parque.

Pausa para almoço. Dentro do parque tem vários restaurantes, nós comemos hamburguer com fritas e milkshake para dar aquela sustentada em mais um dia de muita andança. Depois de comer, aí sim nós fomos passear pela Vila do Harry Potter. Eu não sou fã da série, nunca assisti um filme sequer e achei essa parte do parque muito legal. Para quem é fã deve pirar ali. Muita gente, adultos inclusive, vão com capas de mago e varinhas mágicas, é engraçado, o pessoal literalmente "veste a camisa".


Na foto acima, esse dragão ali em cima do prédio, cospe fogo a cada 10-15min. É uma atração a parte!

Depois de passear pela Vila, voltamos para a parte dos brinquedos. Fomos nos Simpsons, que é bom e vale a pena e  depois fomos em alguns que foram bem chatinhos e não recomendo: 1. Shrek, que é tipo um cinema 4D, mas muito bobinho, 2. MIB, muito muito bobo, 3. Terminator 2.0, muito muito muito bobo. E novamente, as 15h já estávamos prontos para voltar para o hotel e dessa vez nós realmente fomos embora. Se rola show a noite, não sei e não quis ficar para saber.

Em suma, o parque da Universal é legal, bem mais divertido que o Magic Kingdom mas ainda assim não fez a minha cabeça. Meu tipo de turismo é outro, acho que já deu para perceber, né. Se eu tivesse uma bola de cristal, eu teria trocado a Disney por mais um dia em Key West e mais um dia em Ocala. Mas, como isso não é possível, eu fui, vi e vivi e chego a conclusão que para Disney não pretendo voltar tão cedo.


Espero que tenham gostado desse relato e que de alguma forma ele possa ser útil e ajudar você a programar a sua viagem. Vou adorar saber a opinião de quem já esteve na Flórida e outras sugestões de passeios por lá!

Beijos e até a próxima!


sexta-feira, 25 de agosto de 2017

NOSSA VIAGEM PARA A FLÓRIDA - PARTE 1


No início do mês de agosto, eu e meu marido fizemos uma viagem para a Flórida, nos Estados Unidos e como gostamos de fugir um pouco do tradicional roteiro turístico, busquei informações sobre cidades da Flórida, além de Miami e Orlando. Inclusive, apesar de termos chegado e partido pelo Aeroporto Internacional de Miami, ficamos em Miami Beach somente no primeiro dia.

Já era certo quando compramos a passagem para Miami, que nem Miami e nem Orlando seriam os principais destinos e muito menos o foco da viagem seria Disney. Nós queríamos ver e fazer coisas diferentes, porque nós somos do contra  gostamos de um turismo que não é tão turismo, entende?
É claro que gostamos de visitar lugares famosos, ver com nossos próprios olhos, pisar com nossos pés e sentir com nossas próprias mãos aquilo que muitas pessoas já sentiram, mas gostamos também daquele sentimento de descobrir um lugar novo, que poucos conhecem, aquela sensação de não ser turista pois ali não há nenhum outro turista. Na verdade, essa parte é uma das que mais me anima em viagens. 

Apesar do nosso roteiro ter tido início em Miami Beach e fim na Disney, acreditem quando digo que o recheio foi, definitivamente, a parte mais legal! Teve mar caribenho, ilha paradisíaca, teve cobra, jacaré, 7 Miles Bridge, tartaruga, arraia, passeio de caiaque, passeio de bicicleta, snorkeling, teve muita natureza primitiva e água cristalina e por fim, porém não menos importante, teve muita diversão. Foi uma das viagens mais legais que já fiz até hoje! Foi bem difícil selecionar poucas fotos para compor o post e vocês perceberão isso logo abaixo.


Eu já tinha a Flórida quando mais nova, porém fiquei baseada em Panama City Beach e não fiz nada além de curtir dias de praia, portanto conhecia muito pouco desse estado. Mas, dessa vez, pudemos rodar por grande parte do estado e ficamos apaixonados pelo que vimos. Fiquei bastante impressionada com a beleza e diversidade que a Flórida tem a oferecer. Confesso que não esperava tanto, viu! Não estava colocando muita fé que essa viagem seria inesquecível, mas para minha alegria, fui surpreendida muito positivamente.

NOSSO ROTEIRO

Duração: 14 dias
Cidades: Miami Beach, Cruzeiro para Bahamas, Homestead (Everglades), Key West, Ocala e Orlando

Como o post do roteiro acabou ficando muito grande, eu dividi ele em 2 partes e essa é a primeira. Para acompanhar a continuação do roteiro, você pode clicar no link abaixo:

+ Nossa viagem para a Flórida - Parte 2

Nós tivemos exatos 14 dias para curtir a vida adoidado na Flórida e acredito que fizemos bom uso do nosso tempo, apesar de que eu trocaria facilmente os 2 últimos dias do nosso roteiro que passamos na Disney por Ocala (vide foto que abre esse post), e nos próximos posts vocês irão entender o porquê.

MIAMI BEACH


Nossa viagem começou em Miami Beach. Chegamos de madrugada e assim que o sol raiou, colocamos nosso tênis e fomos bater-perna pela orla e conhecer um pouco mais da famigerada cidade. Nem vou me delongar demais por aqui pois Miami não nos conquistou - e nem surpreendeu. É um destino legal para quem quer curtir praia, mas na minha opinião não tem absolutamente nada demais e até agora estou sem entender o motivo de tanta fama.

Quando chegou início da tarde, logo no primeiro e único dia em Miami, já estávamos entediados e o marido buscou na internet algum museu ou outro evento que estivesse acontecendo para nos animarmos um pouco. Foi aí que descobrimos o Museu de Automóveis de Miami ou Dezer Collection. Um museu enorme, dividido em 2 edifícios, um de frente para o outro. O museu traz uma coleção incrível sobre a história dos automóveis americanos e europeus, o início da motocicleta, tanques de guerra, aviões e a cereja no topo do bolo é uma exposição de carros modernos e de vários carros utilizados em filmes famosos, como por exemplo o batmóvel (sim, ele existe e está lá!) e o carro do 007, entre muitos, muitos outros. O curioso é que todos os carros expostos pertencem a um único e abastado dono. Fica aqui a dica de um programa bem legal quando estiver em Miami e quiser fugir um pouco das compras e da praia. O melhor é reservar uma tarde inteira para a visita, pois o museu é grande mesmo.

Como comentei no início do post, nossa passada por Miami foi breve e para nós, essa foi a melhor decisão.


CRUZEIRO PARA AS BAHAMAS


Aqui demos uma rápida escapada da Flórida, mas o cruzeiro fez parte do nosso roteiro e portanto ele faz parte do post também. E eu realizei um sonho de vida quando reservei esse cruzeiro para as Bahamas! Sempre tive vontade de ver aquele mar turquesa, com seus peixinhos e arraias nadando tranquilamente junto com as pessoas, aquele clima de gente alegre e feliz o tempo todo. Realmente, não tem como ficar triste nas Bahamas. E foi tudo isso e mais um pouco que encontrei por lá. A água do mar é absurdamente limpa e cristalina, os peixinhos realmente nadam no meio da gente, a temperatura da água é uma delícia e as pessoas estão todas de bem com a vida.

Nós reservamos um cruzeiro de 4 dias e 3 noites com a Royal Caribbean no navio Enchantment of the Seas aproximadamente 45 dias antes da viagem. Nosso cruzeiro foi dividido em 2 paradas: a 1a parada foi em Cococay, uma ilha particular e exclusiva da Royal Caribbean e a 2a parada foi em Nassau, a capital das Bahamas. Ambas as praias maravilhosas e paradisíacas, mas cada uma com seu propósito.

Cococay por ser uma ilha fechada, as únicas pessoas que vemos por lá, além dos funcionários da companhia, são os hóspedes do cruzeiro, portanto a ilha é absurdamente calma e tranquila. Achei o clima super romântico e propõe relaxamento total. A Royal Caribbean oferece uma infra-estrutura de ótima qualidade na ilha. A ilha é dividida por setores; tem a área para snorkel, outra área com parque aquático com brinquedos dentro do mar, outra parte mais afastada e intimista, além de alugarem para o dia cabanas e tendas para aqueles que preferem ainda mais privacidade. Na ilha também é possível alugar jet ski e vários outros passeios de barco, até mergulho com cilindro para os mais aventureiros.


Nassau tem todo agito de uma cidade com 250 mil habitantes e que recebe milhares de turistas e cruzeiros diariamente, portanto oferece uma atmosfera tão envolvente quanto, porém com outra vibe.
Aqui encontramos todo tipo de gente, todo tipo de compras, restaurantes e resorts, mas o nosso foco principal foi, novamente, curtir esse mar que é de tirar o fôlego!

O objetivo inicial era pagar o day pass do resort Meliá e curtir a praia e estrutura do hotel, só que assim que chegamos lá "demos com os burros na água" pois os passes já estavam todos esgotados - isso que chegamos lá super cedo, antes das 10 da manhã. Fiquei super chateada, pois no site deles deixava bem claro que não era necessário reservar com antecedência. Depois desse balde de água fria, nosso plano B foi ir ao Atlantis Paradise Island, o resort mais famoso das Bahamas. Resolvemos pegar um day pass que nos deu direito a visitar o aquário e a praia exclusiva do hotel. De dentro do hotel também tivemos acesso a praia pública que fica em frente ao complexo e foi onde tiramos as fotos abaixo. Se pudesse voltar no tempo, faria diferente e não pagaria pelo day pass do Atlantis, não achei que vale a pena pelo que oferece. Se fosse dar a dica seria essa, se você só quiser curtir praia, sem brincar no parque aquático do Atlantis ou nadar com golfinhos, vá até a Paradise Island e aproveite apenas a praia pública que é belíssima e oferece cadeiras - sem guarda-sol - gratuitamente.


EVERGLADES


Muita gente vai a Flórida e não abre o Google Maps para perceber que uma grande parte do estado está tomado em consequência do Parque Nacional de Everglades. É impressionante a quantidade de gente que nunca nem ouviu falar nele. Eu fiz o meu dever de casa e assim que percebi o tamanho desse parque, na hora me dei conta que esse tinha potencial para um passeio imperdível. Tiro certeiro.

A cidade escolhida para nos hospedarmos foi Homestead, principal portal para os Everglades. O Parque Nacional de Everglades nada mais é que um pântano enorme com fauna e flora diversificada que possui várias trilhas e fazendas de aligatores. Para quem não sabe, os aligatores são muito comuns na Flórida e em qualquer gramado ou lago, você pode se deparar com um. Confesso que nós não vimos nenhum "dando sopa" por aí, somente dentro das fazendas e reservas. Dentro do parque existem algumas fazendas de aligatores (parente do crocodilo) onde você paga para entrar e visitar o local. Algumas dessas fazendas oferecem o airboat ride que é um passeio de barco com motor exposto que faz um barulhão danado mas oferece uma diversão e tanto atravessando parte do pântano. Um passeio imperdível para quem está na região.

Dentro da fazenda, além do passeio de airboat, também assistimos à uma apresentação com cobras, onde fui a felizarda escolhida "dedocraticamente" para ter uma cobra de 30kg enrolada no pescoço e assistimos a "hora do alomoço" dos aligatores. Vou falar mais sobre a fazenda em um próximo post. Valeu a pena e super indico para quem deseja conhecer esse lado mais selvagem da Flórida.


E nesse parque repleto de aligatores termina a primeira parte dos posts sobre nosso roteiro na Flórida. Acompanhe os próximos posts para saber um pouco mais do que vimos e fizemos nessa viagem deliciosa.

Até breve!