segunda-feira, 28 de agosto de 2017

NOSSA VIAGEM PARA A FLÓRIDA - PARTE 2

Bem-vindos à segunda parte do post sobre a nossa viagem para a Flórida. Se você ainda não leu a primeira parte, clique no link abaixo para acompanhar nossa viagem desde o início.

+ Nossa viagem para a Flórida - Parte 1

No post anterior eu contei para vocês sobre nosso dia em Miami, sobre nosso tão sonhado cruzeiro para as Bahamas e também sobre nossa experiência incrível no Parque Nacional de Everglades. Agora continuamos nossa viagem de carro pela Flórida, nessa aventura que foi muito além da expectativa.


KEY WEST

Depois de passar um dia muito diferente e divertido no Everglades, nós seguimos viagem rumo ao ponto mais sul dos Estados Unidos, atravessando a 7 Mile Bridge e várias ilhas e paisagens de tirar o fôlego até chegarmos na charmosa Key West. 

Key West, assim como o Everglades, é um destino mais popular entre os americanos e europeus. Confesso que esbarramos com pouquíssimos, praticamente nenhum, brasileiro turistando pelas "bandas de lá". Key West é a última cidade ao sul dos Estados Unidos, a última ponta das ilhas e está a 900 milhas de Cuba. É uma cidade de praia, esportes aquáticos e turismo, mas tem também uma base naval americana situada no meio da cidade, colada na praia. É até engraçado você "de boas" curtindo uma praia, relaxando e ao longo do dia vários caças sobrevoando a sua cabeça.

Key West é o tipo de cidade que parece montada para cenário de filme. Todas as casas e edificações seguem a mesma linha de construção provençal, com jardins, bem cuidadas e não vemos prédios altos. Muita gente anda de bicicleta, com suas cestinhas carregadas, indo e vindo bem tranquilamente e sendo respeitadas pelos carros. Apesar de pouco tempo em Key West, deu para perceber bem a dinâmica do lugar: durante o dia é praia, descanso, esportes aquáticos e sol. Durante a noite é diversão! A principal rua da cidade se chama Duval Street e durante a noite fica super movimentada, é lá onde tudo acontece. Os bares e restaurantes ficam cheios, o pessoal sai na rua para encontrar os amigos, visitar exposições - na Duval St. tem várias galerias de arte e tomar uns bons drinks. 

Me deu um aperto no coração de ir embora de Key West. Deu uma vontade enorme de largar tudo e me mudar para lá - rs. 



OCALA - RAINBOW SPRINGS

Saímos de um paraíso e chegamos em outro. Essa viagem foi uma sequência de paraíso atrás de paraíso. Pouquíssimas pessoas conhecem ou já ouviram falar em Ocala. Ocala está localizada bem no centro da Flórida, a aproximadamente 1h30 de carro de Orlando. E você me pergunta: o quê tem de bom para fazer lá? Pois eu te digo: springs!

Springs são como lagos e a região de Ocala, nos arredores de cidades como Dunnellon e Silver Springs, por exemplo,  é recheada desse cenário natural. Existem vários springs espalhados pelo condado, alguns mais famosos e outros menos. Quando digo "famoso", quero dizer entre o pessoal local mesmo, que mora pela área. Porque na verdade, esses springs não tem divulgação nenhuma para turismo, ao menos eu não vi. Eu encontrei esses springs nas minhas caçadas por passeios e cidades diferentes quando montava o roteiro. Farei ainda um próximo post contando para vocês 3 ferramentas essenciais que eu utilizo na hora de montar um roteiro esperto. 


Entre tantas opções de springs, eu escolhi previamente ainda aqui do Brasil o Rainbow Springs e quando fizemos check-in no hotel em Ocala, troquei uma ideia com o pessoal na recepção do hotel e pedi a sugestão deles. No final das contas, chegamos a conclusão que para nós naquele momento, a melhor opção era mesmo Rainbow Springs, já que teríamos apenas 1 dia na cidade e ele é considerado um dos parques mais bonitos da área. 

Rainbow Springs é um parque estadual e cobra entrada. O parque oferece uma piscina natural para banhistas (que tem uma água absurdamente limpa, é impressionante!) e para completar a diversão, é possível alugar caiaques e stand-up paddles para remar pelo rio. A fauna é muito diversificada e é completamente possível encontrar aligatores andando por ali! Nós remamos de caiaque na companhia de lontras, pássaros, patos, peixes e muitas tartarugas. Foi inesquecível e emocionante estar tão próximo da natureza.

Eu vou fazer um post específico contando sobre esse passeio em maiores detalhes, pois merece e é uma dica das boas! Por ora eu digo que valeu muito a pena e se pudesse, teria ficado pelo menos mais um dia em Ocala para curtir outros springs da região. 


ORLANDO - DISNEY

Quem me conhece sabe que eu nunca fui uma grande entusiasta da Disney. Porém, nessa viagem, nós teríamos tempo de sobra e estaríamos tão perto que pensamos "porquê não?!" e assim incluímos dois dias de parques temáticos da Disney no nosso roteiro. Os dois parques escolhidos foram: Magic Kingdom e Universal Studios.

Magic Kingdom é o cartão postal da Disney, com o castelo e todos aqueles personagens que fizeram parte da nossa infância, e foram esses os motivos que nos convenceram a escolher passar 1 dia lá. O parque na realidade é bem infantil e com poucos brinquedos legais. Chegamos lá super cedo, 8h30 aprox., fomos nos brinquedos que queríamos logo cedo para evitar grandes filas e quando deu 14h nós já estávamos de saco cheio entediados e prontos para ir embora. Nós só aguentamos até o final do dia pois todas as pessoas com quem conversamos, insistiram que deveríamos ficar para assistir ao show de fogos Happily Ever After às 21h.

Resumo da ópera: deixamos para comprar os ingressos 1 dia antes diretamente no site da Disney disneyworld.disney.go.com e baixamos o app MyDisney Experience para reservar o fastpass+. Qualquer pessoa que comprar o ingresso para o Magic Kingdom tem direito a essa mordomia gratuitamente. O fastpass+ te dá direito a reservar 3 brinquedos antecipadamente para entrar com hora marcada, ou seja, o famoso "fura-fila" que vem a calhar, pois alguns brinquedos chegam a ultrapassar 2h de espera. O fastpass+ abre 30 dias antes da data do seu ingresso, ou seja, aconselho comprar o ingresso com 1 mês de antecedência para fazer o melhor uso do fastpass+. Como nós acabamos nos enrolando com os parques e até o último minuto ainda não tínhamos batido o martelo, compramos o ingresso em cima da hora e não havia mais fastpass+ disponível para nenhum dos brinquedos que queríamos ir. Quén quén quén... Na minha singela opinião, segue os melhores brinquedos para adolescentes e adultos: Space Mountain, Splash Mountain, Seven Dwarfs Mine Train e Big Thunder Mountain. Ah, o show de fogos Happily Ever After que acontece a noite realmente é imperdível, viu! Foi o que salvou nosso dia no parque. São 15 minutos que você nem pisca.

Outras informações importantes: é permitido entrar com comida e bebida. Nós levamos água, o que foi um grande favor que fizemos ao nosso querido bolso! Os lanches acabamos comprando dentro do parque mesmo e foi um verdadeiro assalto para quem precisa converter tudo por R$3,50.


Nosso segundo e último dia de parques foi dia de Universal Studios. Esse sim foi divertido e valeu bem mais o valor do ingresso. Novamente nós nos programamos para chegar cedo, antes da abertura oficial do parque. O parque abre oficialmente as 9h, porém a Vila do Harry Potter abre as 8h e os brinquedos mais populares abrem somente as 10h. Esses horários são perfeitos para evitar filas. Com um pouco de organização e alguma sorte, nós pegamos praticamente zero fila em todos os brinquedos que nós fomos. Abaixo eu compartilho com vocês a ordem dos brinquedos que nós fizemos para vocês testarem a sorte também.


Chegamos as 8h30 e fomos direto para a vila do Harry Potter, pois essa é bem popular e tende a ficar lotada com o passar do dia. Dentro da vila do Harry Potter tem um brinquedo 4D muito legal, chama Harry Potter and the Escape from Grigotto, valeu muito a pena, ainda mais porque chegamos cedo e pegamos apenas 20min de fila, passou voando. Deixe para passear pela vila mais tarde, aproveite o horário de manhã cedo para ir nos brinquedos concorridos, evitando assim grandes filas. Saindo da vila do HP fomos direto para o Transformers, fomos os primeiros a entrar - 0min na fila - yes! De lá, direto para Revenge of the Mummy e de lá direto para Rock it! - a montanha-russa mais radical do parque.

Pausa para almoço. Dentro do parque tem vários restaurantes, nós comemos hamburguer com fritas e milkshake para dar aquela sustentada em mais um dia de muita andança. Depois de comer, aí sim nós fomos passear pela Vila do Harry Potter. Eu não sou fã da série, nunca assisti um filme sequer e achei essa parte do parque muito legal. Para quem é fã deve pirar ali. Muita gente, adultos inclusive, vão com capas de mago e varinhas mágicas, é engraçado, o pessoal literalmente "veste a camisa".


Na foto acima, esse dragão ali em cima do prédio, cospe fogo a cada 10-15min. É uma atração a parte!

Depois de passear pela Vila, voltamos para a parte dos brinquedos. Fomos nos Simpsons, que é bom e vale a pena e  depois fomos em alguns que foram bem chatinhos e não recomendo: 1. Shrek, que é tipo um cinema 4D, mas muito bobinho, 2. MIB, muito muito bobo, 3. Terminator 2.0, muito muito muito bobo. E novamente, as 15h já estávamos prontos para voltar para o hotel e dessa vez nós realmente fomos embora. Se rola show a noite, não sei e não quis ficar para saber.

Em suma, o parque da Universal é legal, bem mais divertido que o Magic Kingdom mas ainda assim não fez a minha cabeça. Meu tipo de turismo é outro, acho que já deu para perceber, né. Se eu tivesse uma bola de cristal, eu teria trocado a Disney por mais um dia em Key West e mais um dia em Ocala. Mas, como isso não é possível, eu fui, vi e vivi e chego a conclusão que para Disney não pretendo voltar tão cedo.


Espero que tenham gostado desse relato e que de alguma forma ele possa ser útil e ajudar você a programar a sua viagem. Vou adorar saber a opinião de quem já esteve na Flórida e outras sugestões de passeios por lá!

Beijos e até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário